quinta-feira, 16 de março de 2017

No Alto Oeste Potiguar também houve manifestações contra reforma da Previdência


A onda de manifestações que foi deflagrada nesta quarta-feira (15/03) em todo o país, onde trabalhadores de todos os setores foram a rua para protestar contra a reforma da previdência e subtração de direitos trabalhistas, prática frequente no governo Temer, algumas Centrais Sindicais organizaram uma mobilização no Centro da cidade de Pau dos Ferros/RN. 

O movimento, que teve a participação de pessoas de diversos municípios da Região, teve início por volta das 08h00, quando os manifestantes saíram em passeata pelas principais ruas da cidade, se concentrando no Largo da Cultura, na Avenida Getúlio Vargas. Durante o percurso, que foi totalmente pacífico, contando inclusive com apoio da Polícia Militar, os manifestantes gritavam palavras de ordem e exibiam faixas contra o governo, a reforma trabalhista e defendendo os direitos dos trabalhadores. 

O encerramento se deu através de pronunciamentos de alguns membros da mobilização, dentre eles: o Professor Gilton Sampaio, a Enfermeira Soraya Vieira, o empresário Hercílio Barros, o Professor Edneudo Fernandes, o Professor Milton Urbano, a Professora Valdirene Albuquerque,  o vereador sargento Monteiro, além de outros. Todas as falas evidenciaram o ataque voraz aos direitos dos trabalhadores trazida por essa proposta de reforma previdenciária, além da iminente necessidade de mobilização e participação de todos os segmentos da classe trabalhadora numa tentativa de barrá-la, tendo em vista que sua aprovação trará sérios danos aos trabalhadores no futuro. Também foi ressaltado a desinformação da população, uma vez que grande parte dela ainda não sabe sequer o significado da reforma que, na sua essência é, simplesmente o FIM, da aposentadoria.
 

Os organizadores classificaram como positivo o movimento e, embora o número de participantes tenha sido abaixo do esperado, por onde passavam as pessoas que assistiam demonstravam manifestações de apoio. A expectativa é que nas próximas haja um número bem maior de trabalhadores lutando pela manutenção dos direitos já conquistados.

NOSSO PARANA

Nenhum comentário:

Postar um comentário