JOSÉ EUGÊNIO DE FREITAS LUNGUINHO

www.eugeniofreitas.com - JOSÉ EUGÊNIO DE FREITAS LUNGUINHOwww.blogeugeniofreitas.blogspot.com.br

quinta-feira, 8 de junho de 2017

Nosso limite é segunda-feira, diz presidente do PSDB sobre decisão de sair do governo Temer

O mais novo escândalo envolvendo o presidente Michel Temer admitindo uso de um jatinho de Joesley Batista para uma viagem particular com a primeira dama Marcela Temer, pode ser o ingrediente que faltava para o rompimento do PSDB com o governo. A decisão do Tribunal Superior Eleitoral (TSE), que seria o gatilho para um eventual desembarque, acabou provocando o adiamento da reunião da Executiva desta quinta-feira para a próxima segunda-feira . Mas o episódio do avião pode acabar com a resistência de senadores e ministros a pressão de deputados para o rompimento já.
Diante da indefinição do PSDB e do agravamento da situação do governo, cresce entre os deputados um movimento para que alguns saiam da legenda.
— A cada dia é um fato novo, não vai parar de ter fato novo nunca. Isso vai mudando a cabeça dos senadores. Segunda-feira é o limite do PSDB — disse o presidente interino, Tasso Jereissatti (CE), depois de uma manhã e tarde tomada por reuniões com deputados e senadores em seu gabinete.
A reunião da Executiva , segunda, será ampliada, com a participação de todos os governadores, deputados, senadores, ministros e presidentes de diretórios estaduais.
— Daqui para lá pode ter coisa nova. Estou preocupado com esse novo roteiro do TSE. Se absolver Temer e Dilma a casa cai — disse Tasso.
Ele explicou que há um caldeirão no partido, que tem de tudo, e que a preocupação é que o PSDB saia coeso dessa situação , por isso era preciso aguardar a decisão do TSE.
— Não precisamos de cargos ou ministérios para continuar apoiando as reformas — disse Tasso.
Durante almoço no gabinete de Tasso, havia a premissa de que o TSE decidiria até quinta-feira, o que facilitaria a decisão da Executiva. O colegiado será ampliado , mas só os integrantes da Executiva votarão.
— Nós precisamos de uma narrativa para o rompimento. O TSE nos daria essa narrativa, mas adiou para sábado — lamentou um dos presentes na reunião.
Entre os tucanos, há a percepção de que mesmo que escape do julgamento do TSE, Temer não terá como governar.
— A percepção é que o TSE vá absolver os dois, Dilma e Temer. Mas aí como será o cotidiano do governo? Não governa, hoje Temer está preocupado em dar explicações sobre o avião, amanhã será outra coisa. Está acuado, é uma situação terrível — disse o presidente do Instituto Teotônio Vilela, José Aníbal.
Para os tucanos, Temer teria também enormes dificuldades de conseguir os votos para barrar o acolhimento da denúncia que deverá ser encaminhada a Câmara pelo STF.
— Aí a chapa esquenta. Não será tão fácil assim — avaliou o secretário geral do PSDB, deputado Silvio Torres (SP).
Até segunda-feira Tasso irá conversar com governadores e dirigentes do PSDB para chegar a um consenso sobre a decisão de segunda-feira.
— O adiamento foi bom. Dará tempo para conversar com todo mundo e amadurecer uma posição de consenso — disse Silvio Torres.
O PSDB adiou mais uma vez a reunião que selará o destino de sua aliança com o governo do presidente Michel Temer. Diante da prorrogação do julgamento do Tribunal Superior Eleitoral, que marcou sessões inclusive para sexta e sábado, o presidente interino do partido, senador Tasso Jereissati (CE), reagendou o encontro da Executiva Nacional, marcado para amanhã, para a próxima segunda-feira, às 17h. Tasso minimizou as críticas de que o partido estaria “em cima do muro”.
— Essa marca a gente leva há 30 anos. Mas tudo bem, como lembrou ontem a Yeda (Crusius), isso acontece porque a gente tem a obrigação de olhar para os dois lados — justifica.
AGÊNCIA O GLOBO

Nenhum comentário:

Postar um comentário