sexta-feira, 11 de maio de 2018

Encontro histórico de Trump e Kim Jong-un será em 12 de junho

Foto: Manuel Balce Ceneta / AP
O encontro entre o presidente dos Estados Unidos, Donald Trump, e o ditador norte-coreano, Kim Jong-un, será no próximo dia 12 de junho em Cingapura, anunciou o americano nesta quinta-feira (10).
Será a primeira reunião entre um presidente americano e um líder da Coreia do Norte.
Ao anunciar os detalhes do encontro em rede social, Trump disse: “nós dois tentaremos fazer com que seja um momento muito especial para a paz mundial!”
O presidente americano havia dito que preferia que o encontro acontecesse na zona desmilitarizada, na fronteira entre as duas Coreias, onde Kim recentemente se encontrou com o presidente sul-coreano, Moon Jae-in; mas assessores de Trump preferiram a pequena nação de Cingapura.
O secretário de Estado dos EUA, Mike Pompeo, foi duas vezes à Coreia do Norte, uma no final de abril e outra nesta semana. Ele voltou aos EUA na madrugada desta quinta com três americanos que estavam presos pelo regime norte-coreano, acusados de espionagem, e foram soltos.​
Os três americanos —Kim Dong-chul, Tony Kim e Kim Hak-song— chegaram na madrugada desta quinta a uma base aérea perto de Washington, onde foram recebidos por Trump e pela primeira-dama Melania.
A detenção de americanos pelo regime de Kim vinha sendo um ponto de tensão entre os países, especialmente depois que a Coreia do Norte prendeu Otto Warmbier, acusado de tentar roubar um pôster durante viagem ao país e condenado a 15 anos de trabalhos forçados. Libertado em junho do ano passado, ele estava em coma e morreu alguns dias depois nos EUA.
REAPROXIMAÇÃO
A aproximação entre EUA e Coreia do Norte veio depois de, no ano passado, os líderes dos países trocarem insultos e ameaças e o regime de Kim fazer testes nucleares e de mísseis intercontinentais.
Kim anunciou recentemente que a Coreia do Norte deixaria de fazer testes de armas nucleares e que abandonaria seu local de testes atômicos. O ditador se encontrou no final de abril com o presidente da Coreia do Sul, Moon Jae-in, e os países negociam a implantação de um acordo de paz para desarmar a península e encerrar formalmente a guerra entre as duas Coreias.
FOLHA PRESS/ASSOCIATED PRESS

Nenhum comentário:

Postar um comentário