segunda-feira, 30 de abril de 2012

CAMPEONATO PARAIBANO

Fora! Fora! Fora! Na bola, na raça e com direito a olé: Treze 1 x 3 Sousa
Qual das batalhas merece o primeiro destaque? A da bola ou a do absurdo? 
Olé, Olé, Olé... 
28 de abril de 2012, estádio Amigão, Campina Grande, 20h30, gramado de jogo: 
Sousa perfeito em campo! Anderson; Eduardo Recife, Alisson Capitão, Aderaldo, Camilo; Xinho (Ivson), Misso, Jefferson (Renan), Willians; Vitinho e Esquerdinha (Juninho). Suélio Lacerda “bota os meninos na roda”, ensina a Campina Grande o que é um “nó tático”, não se faz modesto e humilha o Treze em seu terreiro. 
O Sousa vence o jogo por 1 x 3, espera o vencedor de Campinense x Botafogo para fazer a final da segunda fase e deixa o Treze fora de série. 
OS GOLS: Vitinho, Esquerdiha e Vitinho para o Sousa. Vavá de pênalti para o Treze.
Opressão: revivendo os porões da ditadura 


28 de abril de 2012, estádio Amigão, Campina Grande, 19h00 / acessos, corredores, cabines e vestiários do Amigão: 
O Sousa é escoltado por batedores da polícia até o primeiro portão de acesso ao estádio Amigão. Depois, dentro do Amigão, seguranças do Treze tentam barrar o presidente do Sousa, Aldeone Abrantes, e demais membros da Comissão Técnica... Jogadores descem do ônibus e também são empurrados por seguranças... Confusão geral. 
Servidores do Estado da Paraíba (pagos com os nossos impostos) responsáveis pela administração do estádio Amigão deixam bem claro aos gritos: “Aqui é pau, e amanhã vai ser pau também”. 
O presidente do Sousa é ameaçado de morte. 
A polícia chega ao local e o Sousa consegue acesso aos vestiários. 
Nos vestiários não há água para o banho dos jogadores e nem para a descarga das necessidades fisiológicas. 
A imprensa sousense recebe ameaças: o radialista Ivonízio Inácio, da FM 97.1, escuta de seguranças que não vai deixar o estádio e que o Garotão e o presidente do Sousa estão jurados. O repórter Jorge Gadrian, da Rádio Progresso, recebe recado para o Garotão dando conta que tem alguém escutando a transmissão pela internet e que se o Treze for chamado de galinha (expressão jamais usada pelo radialista) o Garotão não deixa o estádio. 
Nesse ínterim, o sousense e Deputado Estadual Lindolfo Pires – Secretário Chefe da Casa Civil – que chegava ao estádio Amigão, toma conhecimento dos absurdos e aciona o comando da Polícia Militar que garante proteção ao presidente do Sousa, aos jogadores, aos torcedores nas cadeiras e arquibancadas do Amigão e também a imprensa. Procura inclusive o responsável pelo estádio e determina que seja religada a água do vestiário do Sousa. 
O Sousa, a imprensa e a torcida deixam o Amigão escoltados pela Polícia Militar.
O apito 

José Renato mostrou que sabe. José Renato, um dos melhores da Paraíba, foi auxiliado por Luis Filipe e Oberto Santos. O trio esteve bem. 
Apenas duas observações: tenho dúvidas no pênalti marcado a favor do Treze e não me recordo de nenhum árbitro puxando pelo braço qualquer jogador galista após sofrer uma falta em qualquer Campeonato Paraibano. 
Vitinho 
Artilheiro do Sousa: 11 gols. Decisivo. 
Iluminado 
Esquerdinha confirma a ideia de jóia rara. Três gols em dois jogos decisivos. O moleque tem estrela.
 Anderson 
Goleiro nota dez. Fez grandes defesas e foi um dos melhores em campo. 
O grupo 
Todos os jogadores estão de parabéns. Todos. Zaga bem postada, alas jogando muito, meio campo seguindo as orientações do treinador (menos o volante Jefferson que teve dois dentes arrancados por uma cotovelado de um jogador do Treze – Suélio não pediu isso). Ataque mortal. Parabéns a todos. 
Suélio e Comissão 
Suélio Lacerda está com moral em alta. Mesmo com as adversidades, de suspensões e departamento médico, tem acertado repetidas vezes e hoje não foi diferente. O auxiliar Ivanzinho, os preparadores Stefferson Bruno e Valmir Filho (Fia) estavam em estado de graça após o jogo.
Fonte: Blog do Garotão