terça-feira, 5 de junho de 2018

Volta das chuvas anima produtores de cajueiros do tipo anão precoce em Severiano Melo-RN

Severiano Melo é conhecido no estado como a ‘Terra do Caju’ - título que ganhou pelo destaque na produção de caju e castanha ao longo dos anos (Foto: Inter TV Costa Branca/Reprodução )

O plantio de cajueiros do tipo anão precoce está deixando o fruticultor animado na zona rural de Severiano Melo, município da região Oeste potiguar. Em um pomar na comunidade de Baixa do Açudinho, foram colhidos 14 toneladas de caju e mais 7 toneladas de castanha. Para este ano, a expectativa é dobrar a produção.

Severiano Melo é conhecido no estado como a ‘Terra do Caju’ – título que ganhou pelo destaque na produção de caju e castanha ao longo dos anos. Mas, os últimos anos de extrema seca dizimou os cajueiros. O município, que já chegou a produzir mais de 1 500 toneladas de castanha de caju em 2011, viu a produção despencar. A menor safra foi registrada em 2015: 89 toneladas de amêndoas.
Os anos de estiagem prolongada fizeram com que os produtores mudassem de estratégia. Eles trocaram os cajueiros gigantes pelos cajueiros do tipo anão precoce. A mudança trouxe bons frutos. No pomar do fruticultor Jacinto Carvalhp, por exemplo, a troca dos cajueiros aconteceu no ano passado. As mudas vingaram e estão crescendo. E do jeito que os frutos estão, a hora da colheita tá chegando. É a chamada safrinha de inverno, que acontece após as chuvas. Em alguns dias, vai ser possível comercializar o chamado caju de mesa, aquele vendido nos supermercados.
Quem também tá na expectativa de um ano de boa colheita do caju é Ubiratan Dias. Ele começou a investir na cajucultura há seis anos, justamente no período da seca. Primeiro, ele se dedicou ao beneficiamento de castanha. O dinheiro arrecadado possibilitou a ampliação da atividade. Agora, ele espera, pela primeira vez, colher a castanha e o caju. 

* G1 RN

Nenhum comentário:

Postar um comentário